A FORÇA DO HÁBITO

Atualizado: 1 de set. de 2021




O que você fez quando acordou hoje? Provavelmente a mesma coisa que fez ontem, antes de ontem, a dois dias atrás e a todos os outros dias passados.

Somos seres de hábitos e, segundo o filósofo e psicólogo americano William James em 1892, “toda a nossa vida, na medida em que tem forma definida, não é nada além de uma massa de hábitos”.

Acordar, tomar banho, colocar a roupa, ir até a cozinha, tomar o seu café da manhã, escovar os dentes, colocar os sapatos, ir para o trabalho pelo mesmo caminho, estacionar o carro na mesma vaga, chegar no trabalho e colocar sua bolsa no mesmo lugar de sempre, começar as atividades da mesma forma.... Poderia listar aqui, sem mesmo lhe conhecer, várias atividades que você faz sem que se dê conta de como elas acontecem. Tudo pela força do hábito.

Aristóteles já tentava entender o porquê de os hábitos existirem, porém é recente o entendimento de como os hábitos atuam em nossas vidas e de como podem ser mudados.

Entender como os hábitos funcionam é essencial para quem quer mudá-los. Mas por que mudar um hábito?

Sem dúvida alguma, os hábitos são necessários e viver sem eles é praticamente impossível. Quando um comportamento ou ação se torna um hábito, o cérebro para de ter participação na tomada de decisões para realizar aquela determinada atividade, desviando o foco para outras tarefas.

Imagine ficar pensando em detalhes como escovar os dentes, como fazer cada gesto durante o seu banho, como se vestir, se calçar e como comer? Nossos hábitos surgem pelo fato do nosso cérebro estar o tempo todo procurando formas de poupar esforço, desacelerando nossas mentes.

O grande problema é que nosso cérebro não sabe diferenciar um hábito bom de um hábito ruim.

Ambos são construídos da mesma maneira. Um hábito está ligado diretamente à recompensa que ele tem. Nossa história evolutiva foi construída assim. Estamos sempre buscando recompensa imediata, o que é um grande estímulo para a criação de um hábito.

Assim, vamos criando ao longo de nossas vidas, padrões mentais, e mudá-los significa assumir o controle do loop do hábito, que consiste em start, rotina e recompensa. Mudar um hábito é mudar a forma do seu cérebro funcionar.

Sendo assim, um hábito pode ser ignorado, alterado ou substituído, mas também retomado.

Mesmo que não nos lembremos de como um hábito surgiu, uma vez alojado em nosso cérebro, influencia o modo como agimos, sem sequer percebermos.

Hábitos são essenciais para nossa rotina, mas prejudiciais quando interferem na nossa evolução e desenvolvimento. Estar consciente do nosso inconsciente é primordial para mudarmos um hábito, sempre que quisermos ou acharmos importante.

Lembre-se: sua mente deve ser sempre mais forte que seu corpo, que estará a todo momento tentando assumir o papel dela.

jaqueline.jpg

Olá, que bom ver você por aqui!

Siga-nos nas redes sociais e fique por dentro da live toda quarta-feira às 20h no Instagram!

  • Preto Ícone Instagram
  • Preto Ícone Facebook
  • Preto Ícone YouTube

Fique por dentro de todos os posts

Obrigado por assinar!